Apresentação
Blogue No Entanto...
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
José Carlos Bravo Nico
Opinião
Diário do Sul Acção Socialista revista alentejo Dianafm

Diário do Sul

voltar à página anterior

» Solidariedade: o quarto amor

...há um outro Amor que nos toca, por vezes, na vida e que é muito diferente dos anteriores.

Amamos os(as) outros(as) porque com eles(as) possuímos uma ligação familiar, uma relação afectiva e sentimental ou uma amizade.

Na realidade, o Amor aparece-nos na vida através dos laços que estabelecemos no seio da família a que pertencemos, que construímos, que nos adoptou ou que adoptámos; por intermédio da paixão que nos arrebatou ou como consequência das amizades que edificámos e preservámos.

Mas, há um outro Amor que nos toca, por vezes na vida, e que é muito diferente dos anteriores: A Solidariedade, que é o quarto Amor.

O Amor da Solidariedade torna-nos familiares de quem não nos pertence, cria laços de amizade com quem, tantas vezes, não conhecemos e ocupa-nos a vida sem que demos por isso, como se fosse um fogo que arde sem se ver.

O Amor da Solidariedade leva-nos a disponibilizar os mais preciosos bens que possuímos: o tempo e a atenção. Damos tempo e atenção a quem deles necessitar e apenas isso é necessário, quase sempre, para fazer nascer um sorriso numa cara fechada, criar uma esperança numa infelicidade, acender uma centelha de luz numa noite sombria ou construir uma janela no mais espesso muro.

A Solidariedade é um Direito Humano e, por isso mesmo, é também um Dever Humano. Ser solidário deve ser uma realidade da vida, tão concreta e definida como outra coisa qualquer. Só assim, a Solidariedade poderá entupir todas as armas que fazem as guerras e semeiam os ódios.

13/08/2007

Página Inicial Actividade Profissional Actividade Política Curriculum Vitae Contactos Actividade Cívica e Social